Pesquisa personalizada

9 de mai de 2009

Veja publica gravações de ex-assessor de Yeda

A Revista Veja, em sua edição deste final de semana, confirmou a existência de gravações em que o ex-assessor Marcelo Cavalcante, encontrado morto em 17 fevereiro, em Brasília, relata irregularidades na campanha e na gestão da tucana.
.
A reportagem diz ter ouvido uma hora e meia das dez horas de diálogos mantidos entre Cavalcante e o lobista Lair Ferst, um dos pivôs do escândalo milionário do Detran. Ambos participaram da campanha da governadora em 2006. Os áudios, segundo a revista, trazem três casos com indícios de suposta corrupção. Em entrevista à revista, a empresária Magda Koenigkan, que foi companheira de Cavalcante, confirmou a autenticidade do material, que teria sido gravado por Lair. A reportagem, sob o título O caixa dois do caixa dois, diz que "gravações e um depoimento da empresária Magda Koenigkan lançam uma nova sombra sobre o governo Yeda".
.
Magda afirmou à revista que as gravações são conversas de "barzinho" entre Cavalcante e Lair. De acordo com Cavalcante, Yeda teria recebido dinheiro do caixa 2 depois do pleito. O ex-assessor conta que, após o segundo turno, ele próprio coletou dinheiro em duas empresas fabricantes de cigarros: R$ 200 mil da Alliance One e R$ 200 mil da CTA-Continental. O ex-assessor diz que entregou os recursos a Carlos Crusius, então marido da governadora. Procurados por Veja, os executivos das empresa negaram envolvimento com caixa 2.
.
Segundo a entrevista de Magda à revista, os R$ 400 mil teriam sido usados num pagamento da casa de Yeda "por baixo do pano". A declaração reabre mais uma ferida no governo, pois Yeda já dava o caso da casa como encerrado desde que recebeu um atestado de legalidade do negócio dado por duas instituições: o Ministério Público Estadual e o Tribunal de Contas do Estado. Yeda sempre disse que a casa custou R$ 750 mil, mas a oposição levanta suspeitas em relação ao valor. Magda diz que o imóvel teria custado "cerca de R$ 1 milhão". (leia a matéria completa)
.
Em entrevista coletiva hoje pela manhã, a governadora
Yeda voltou a afirmar não acreditar na veracidade da fita e, que vai esperar que
todos os fatos sejam depurados e que as provas apareçam. A governadora disse que
não leu a reportagem, vai ler na revista. Ela afirma que não arrecadou dinheiro
para campanha. Quanto a compra da casa, afirmou que o MP provou que houve
idoneidade na compra da casa, que houve denúncias sem prova. Yeda disse que as
pessoas não acreditam que ela é como é, íntegra, que não pede nada em troca. Ela
afirmou que está decepcionada com algumas pessoas que conviveram com ela no
governo, não generalizando, houve muitas traições.

Nenhum comentário: