Pesquisa personalizada

5 de dez de 2008

Novas profissões

A Secretaria de Transportes fornece credencial de passe livre no transporte coletivo aos portadores de deficiência, trata-se de um cartão magnético com os dados pessoais do usuário, que lhe permite passar a roleta do ônibus sem pagar a passagem. Em alguns casos, conforme o grau da deficiência, o portador do passe pode levar consigo um acompanhante. A função do acompanhante é de auxiliar o deficiente no embarque e desembarque e, movimentação dentro do coletivo. Uma atitude mais do que louvável da Secretaria, até porque os deficientes que utilizam os transportes coletivos, são em sua maioria, das classes menos favorecidas. No entanto, esta facilidade já originou uma nova forma de arrecadar recursos, o deficiente profissional.

Ele fica nas paradas de ônibus a espera de uma boa alma que o auxilie. Em troca, ele aciona o controle eletrônico das catracas, permitindo que o eventual acompanhante passe sem pagar, depois pede ao seu benfeitor o dinheiro da passagem que a vítima bem intencionada economizou ao passar sem pagar. Assim ele desce na próxima parada e repete o ato. No final do dia ele contabiliza os lucros que, em dias de movimento, chega a R$ 50,00.

É um absurdo que pessoas inescrupulosas, utilizem a própria deficiência para abusar da solidariedade humana. Pior ainda que as pessoas, penalizadas, incentivem tal atitude ao dar o dinheiro equivalente a passagem.

Seja solidário, mas não dê dinheiro a esses exploradores.
Postado por Anna Maria

Nenhum comentário: