Pesquisa personalizada

26 de dez de 2008

A Cesar o que é de Cesar


Apesar das diversas denúncias de irregularidades, investigações, dossies e muito blá-blá-blá, Antonio Cesar Gonçalves Borges, foi nomeado pelo Presidente Lula para mais quatro anos à frente da reitoria da Universidade Federal de Pelotas.
O decreto presidencial, foi o presente de Natal do Governo Federal à Cesar Borges, assinado dia 24 de dezembro de 2008 e publicado hoje no Diário Oficial da União, o atual reitor vai para o seu terceiro mandato, contrariando as expectativas de funcionários e alunos que acreditavam que as denúncias feitas pelo Ministério Público Federal e pelas irregularidades constatadas pelo Tribunal de Contas da União, fossem suficientes para impugnar o nome do atual reitor.
Desde 2007, Cesar Borges vêm enfrentando uma série de denúncias como, nomeação de funcionários sem qualificação para cargos de alta responsabilidade na esfera acadêmica, empreguismo, contração irregular de funcionários sem concurso público, má gestão do dinheiro público, improbidade administrativa e outras tantas. O MPF ajuizou ação de improbidade contra o reitor César Borges, e contra o pró-reitor de Assuntos Comunitários da instituição, Alípio Coelho, em razão de convênio assinado pelo reitor que permitiu à Santa Casa transferir seu setor de heomodiálise para prédio da Ufpel. A empresa de Alípio, vendeu seus equipamentos à Santa Casa por 700 mil reais, mas ele continuou à frente do serviço, como consultor técnico, recebendo remuneração da Santa Casa e, ao mesmo tempo, negociando junto ao reitor da Ufpel a transferência para o Centro de Pesquisas Amilcar Gigante. Em outubro, após parecer não conclusivo da Procuradoria Jurídica da universidade, o reitor César Borges assinou convênio que permitiu o uso das instalações pela Santa Casa, que se transferiu para o local cinco dias depois de firmado o convênio. Há também o caso da Fundação Simon Bolivar e a contratação de mais de 700 pessoas sem concurso.
Enfim, são tantas irregularidades denunciadas, que caberia um dia inteiro para descreve-las, o que importa é que Cesar têm mais quatro anos pela frente. Seus opositores terão tempo de sobra para protestar.
O que nós não entendemos é como o Governo Federal pode endossar o nome de uma pessoa envolta em tantas denúncias. Já dizia meu avô, onde há fumaça, há fogo, e Lula já está acostumado a botar a mão no fogo por seus "amigos", lembrem, Zé Dirceu, Delúbio, Marcos Valério, José Genoíno, João Paulo Cunha...

Nenhum comentário: