Pesquisa personalizada

13 de jan de 2010

Terremoto no Haiti



Um forte terremoto atingiu o Haiti nesta terça-feira, 12. O tremor atingiu sete graus na escala Richter às  às 19h53 (hora de Brasília). Logo depois, duas réplicas de 5,9 e 5,5 graus atingiram o país. Há notícias de muitas vítimas fatais. A área onde mora o general brasileiro, comandante da missãode paz da ONU foi atingido mas, segundo o Ministério da Defesa, não há relatos de vítimas fatais entre os soldados brasileiros no Haiti, apenas feridos.


O Brasil mantém no Haiti desde 2004 cerca de 1.300 homens, a maior parte do Exército, integrantes da missão de paz das Nações Unidas naquele País, considerado um dos mais pobres do planeta. Grande parte deste contingente estava lotado na capital Porto Prícipe, epicentro  do terremoto.

As cidades estão às escuras, as comunicações funcionam precariamente, pessoas caminham nas ruas sem ter para onde ir, milhares de feridos são atendidos nas ruas, há pessoas presas sob os escombros aguardando resgate.





O Haiti tem  uma população de cerca de 10 milhões de habitantes e  é o país mais pobre do ocidente. A população sofre com as mortes provocadas por doenças como a Aids, além de problemas causados pela falta de saneamento básico. O país tem altos índices de mortalidade infantil e baixas taxas de crescimento populacional.

ATUALIZAÇÃO

O Comando do Exército confirmou a morte de 11 militares brasileiros no Haiti, vítimas do terremoto. Foram confirmados os nomes  de 1o militares do BRABATT e 1 da MINUSTAH:

5º Batalhão de Infantaria Leve, sediado em Lorena-SP:

- 1º Tenente BRUNO RIBEIRO MÁRIO;
- 2º Sargento DAVI RAMOS DE LIMA;
- 2º Sargento LEONARDO DE CASTRO CARVALHO;
- Cabo DOUGLAS PEDROTTI NECKEL;
- Cabo WASHINGTON LUIS DE SOUZA SERAPHIN;
- Soldado TIAGO ANAYA DETIMERMANI; e
- Soldado ANTONIO JOSÉ ANACLETO,

2º Batalhão de Infantaria Leve, sediado em Santos-SP:

- Cabo ARÍ DIRCEU FERNANDES JÚNIOR e
- Soldado KLEBER DA SILVA SANTOS;

37º Batalhão de Infantaria Leve, sediado em Lins-SP.

- Subtenente RANIEL BATISTA DE CAMARGOS,

Da MINUSTAH:

- Coronel EMILIO CARLOS TORRES DOS SANTOS, do Gabinete do Comandante do Exército, sediado em Brasília-DF.

Além disso, encontram-se desaparecidos 04  militares que estavam no Quartel da MINUSTAH (Hotel CRISTOPHER) e mais 03 sob escombros, não localizados no Ponto Forte 22 (Casa Azul), próximo ao bairro Cite Soleil.

Há 07 (sete) feridos em atendimento no Hospital Argentino da MINUSTAH e 02 (dois) outros militares foram evacuados para a República Dominicana.


Outra morte confirmada é a da fundadora da Pastoral da Criança e da Pastoral da Pessoa Idosa a médica pediatra e sanitarista Zilda Arns de 75 anos, que estava no Haiti como parte de uma série de visitas a países da região e teria morrido após escombros caírem sobre ela enquanto caminhava na rua.  A médica era irmã do cardeal-arcebispo de São Paulo, Dom Paulo Evaristo Arns.

O velório e enterro de Zilda ocorrerão em Curitiba, onde moram seus quatro filhos Heloisa, Nelson, Rogério e Rubens. O governo do Estado do Paraná decretou luto oficial de três dias pela morte da missionária, que vivia em Curitiba há décadas.

Informações referentes a cidadãos brasileiros no Haiti poderão ser obtidas junto ao Núcleo de Assistência a Brasileiros, nos seguintes telefones: (061) 3411.8803/ 8805 / 8808 / 8817 / 9718 ou 8197.2284.

Segundo informou o primeiro-ministro Jean-Max Bellerive à rede de televisão americana CNN, o número de mortos no terremoto do Haiti deve ficar "bem acima dos 100 mil". Segundo Préval, pode haver milhares de mortos, embora por enquanto não seja possível divulgar um número oficial. "O Parlamento afundou, o edifício de impostos, as escolas e os hospitais. Há muitas escolas destruídas com muita gente dentro", destacou. O presidente haitiano explicou que percorreu vários bairros de Porto Príncipe para avaliar as consequências do tremor. "Todos os hospitais estão abarrotados de gente. É uma catástrofe, completou.

Nenhum comentário: