Pesquisa personalizada

11 de nov de 2008

tecnologia x fraude


Ag Reuters.

"Japoneses usam celulares para pagar suas compras.

Grandes companhias, como a Nokia e a Visa, ainda estão testando os pagamentos feitos pelo celular, mas no Japão, mais de 50 milhões de telefones móveis - cerca da metade do total - já têm aparelhos que funcionam também como carteira".


Os telefones são carregados com dinheiro e você utiliza esses créditos para fazer o pagamento de suas compras. Não é necessário carregar dinheiro no bolso nem cartões de crédito.


Agora imaginem no Brasil. Aqui mais da metade dos celulares funcionam apenas com toques. As meninas, são fãs desse tipo de ligação:

- Oi! tu...tu...tu...tuuuuuuuuuuu

-Vais? tu...tu...tu...tuuuuuuuuuuu

-Eu vou! tu... tu... tu...tuuuuuuuuu

-E ele? tu...tu...tu...tuuuuuuuuu

-Legal! tu...tu...tu...tuuuuuuuuuu

Têm também aqueles que só ligam a cobrar. Como fica então?

O cliente entra na loja, escolhe o produto e na hora de pagar saca o telefone e diz:

-Vou comprar à cobrar.

Ou então, a menina vai a lanchonete tomar um sorvete, na hora de pagar pergunta:

-Quantos toques custa o sorvete?

Têm aqueles que vão gostar da ideia, os clonadores. Você vai à banca do expert e compra um chip clonado com R$ 1.000,00 de créditos do Visa, paga cenzinho, e vai correndo à loja comprar tudo que puder em 5 minutos, pois se demorar muito o infeliz do dono do chip original, terá feito o bloqueio na operadora.

Toda a inovação tecnológica é bem-vinda. Ela incentiva e aguça a criatividade do brasileiro.

Antes havia o velho relógio ponto, você deixava o cartão com um colega, e ele batia o ponto pra você. Depois inventaram o ponto magnético, não adiantou nada. Os especialistas tiravam uma cópia colorida do crachá, plastificavam e penduravam do pescoço, o original ficava com colega que batia o ponto de todo mundo. Veio então, o registro papiloscópico, aquele que você passa o dedão. Antes de achar uma solução técnica os fraudadores de plantão acharam uma solução prática, quebravam os relógios que viviam eternamente em manutenção. Veio então o dedo sujo, o aparelho sabe que alguém esta ali, mas não sabe quem é.

Eu sei que esse negócio de pagar conta com celular, é coisa de japonês. Mas um dia vai chegar no Brasil, e sei também que alguém vai dar um jeitinho de ganhar com isso.


Anna Maria, colabora com o blog postando suas crônicas divertidas.

Um comentário:

Anônimo disse...

Gostei. E minha filha também. Quem vai gostar mais ainda, são os bancos que vão financiar e ganhar em cima dos negócios realizados e também as operadoras que estão ficando cada vez mais ricas.