Pesquisa personalizada

6 de nov de 2009

Delegado do Pará confirma: MST detruiu fazendas


O Delegado Geral da Polícia do Pará, Raimundo Benassulli, confirma que foram integrantes do MST os responsáveis pela destruição das fazendas Maria Bonita (Eldorado dos Carajás) e Rio Vermelho (Sapucaia), causando prejuízos superiores a R$ 3 milhões.

O delegado tem em mãos o relatório preliminar elaborado pela perícia nas fazendas do Sudeste do Pará. O Diretor de Polícia Interior do Pará, Milton Cunha, deu declarações à imprensa informando que as autoridades investigam com rigor os atos provocados pelo MST.

Contrariando as declarações da polícia do Pará, o titular da Delegacia Especial de Crimes Agrários (Deca), de Redenção, Luiz Paulo Galrão, declarou que ainda era cedo para dizer se as fazendas foram destruídas pelo MST.

A chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff disse em Londres que não concorda com a criminalização de movimentos sociais. Dilma classificou o MST como um movimento legítimo, e disse que seria absurdo dizer que ele não tem uma base real. Porém, a ministra afirmou discordar dos métodos usados por seus militantes:

— Métodos de luta como queimar laranjal ou qualquer outra violência são ilegais, mas isso não significa que vou aceitar que o MST seja colocado na ilegalidade ou tratado como movimento criminoso, disse ela.

E assim, os movimentos, que já foram sociais, são protegidos pelo manto da impunidade sob o patrocínio do estado. A omissão do governo do estado do Pará em não cumprir as reintegrações de posse dadas pela justiça colabora com tudo isto. Eu também não concordo em criminalizar movimentos sociais, mas desde que eles não cometam crimes ou atos criminosos como os que vêm sendo orquestrados pelo MST no Brasil.

Postado
por Anna Maria
anna.ajuris@yahoo.com

Nenhum comentário: