Pesquisa personalizada

28 de nov de 2009

Arruda-DEM- Chefe da quadrilha?


A subprocuradora da República Raquel Dodge anexou ao pedido de abertura de inquérito da Operação Caixa de Pandora, no STJ, uma série de videos que, de acordo com as investigações, revelam em detalhes como funcionava a máquina de arrecadação e distribuição de propina no governo do Distrito Federal.


Um dos 30 vídeos aponta o governador José Roberto Arruda (DEM) como pretenso “chefe da quadrilha”, participando do esquema desde o tempo em que era deputado federal, de 2003 a 2006, e depois eleito para o comando do DF.

Conforme apuração da PF, Arruda se beneficiava diretamente da cobrança de propinas em cumplicidade com o governo anterior, de Joaquim Roriz (2003-2006), que lhe teria dado carta branca para operar com o cabeça do esquema, o então presidente da Companhia de Desenvolvimento do Planalto (Codeplan) Durval Barbosa. Depois de ser caixa de campanha de Arruda, Durval assumiu a Secretaria de Relações Institucionais do governo eleito em 2006.

Em uma das gravações, Arruda aparece recebendo R$ 50 mil, em notas de R$ 100, das mãos de Durval. O dinheiro, conforme apurou a PF, seria para pagamento de despesas pessoais do governador. A investigação indica que a fonte do dinheiro foi a empresária Cristina Boner, do grupo TBA, que o teria repassado a título de “pedágio” regular pelos contratos supostamente direcionados por Arruda para a empresa com o então governo Roriz. (Fonte Correio do Estado)

Os 30 vídeos mostram a movimentação financeira de um esquema de propinas, fraudes, peculato, corrupção, crime eleitoral, crimes tributários e outros tantos termos, que os políticos brasileiros estão acostumados a ouvir, ver e participar, mas que não levou ninguém para a cadeia. De início eles até ficam preocupados, mas logo o tremor passa a voz retorna e eles retornam à mídia, arrogantes como sempre, negando e justificando com as mais absurdas explicações aquilo que é inexplicavel. Como na mitologia, ao abrir a caixa de pandora, todas as provas materiais irão se diluir, e os políticos envolvidos, contrariando a mitologia, voltarão sem temer a maldição da caixa. Se houvesse um pouco de dignidade nos envolvidos, fariam como Pandora, e sumiriam do mapa

Um comentário:

Anônimo disse...

Concordo com vc. se houvesse dignidade, sumiriam do mapa. O problema é que eles não tem.
Situação, oposição, quem está mais sujo neste pardieiro chamado Brasil??