Pesquisa personalizada

24 de abr de 2010

Transplantes de órgãos – Tráfico e impunidade

Dia 08 de maio, o documentário HOT – Human Organs Traffic  será exibido  no British Museum em Londres. Este documentário começa com o caso Paulinho, Paulo Veronesi Pavesi, 10 anos de idade, que após um acidente doméstico foi atendido em um hospital em Poços de Caldas e teve seu órgãos retirados ainda vivo. O depoimento em vídeo de Paulo Pavesi, pai de Paulinho, conta uma parte da triste história que muitas pessoas consideram como sendo “lendas urbanas,” mas que são reais e estão  próximas de nós.

No caso de Paulinho, em 17 de maio de 2002, o Ministério Público Federal,  por seus Procuradores da República Adailton Ramos do Nascimento, Eduardo Morato Fonseca, Isabela de Holanda Cavalcanti e Juliano Stella Karam, ofereceu denúncia  por crime de homicí­dio doloso qualificado contra os médicos José Luiz Gomes da Silva, Álvaro Ianhez, José Luis Bonfitto e Marco Alexandre Pacheco da Fonseca, pela morte de Paulo Veronesi Pavesi, ocorrido na cidade de Poços de Caldas. Porém até hoje nenhum dos acusados foi punido
Assista o documentário. Para conhecer todos os detalhes do assassinato de Paulinho, link em “A verdade. Nada mais que a verdade.”

6 comentários:

Anônimo disse...

Acompanho o caso desde 2001, o medico jose luiz bonfitto continua fazendo mal a outras pessoas, abandona filho, brinca com a justiça brasileira, tenta entrar na politica brasileira, continua participando de plantoes em sala de urgencias, concordo que para se condenar alguem tudo deve ser muito bem avaliado,caso contrario
a justiça começa agir igual essas pessoas, mas 10anos avaliando, ou estão esperando paulo Pavesi morrer velho, para o caso ser arquivado, afinal Jose luiz bonfitto, não tem medo de nada não é?

José Luiz Bonfitto disse...

Gostaria de esclarecer que há mais pessoas com o mesmo nome , eu me chamo José Luiz Bonfitto, sou psiquiatra, CRM 50862 SP, nunca cliniquei fora de minha especialidade ou fora de São Paulo, ...Acho lamentável o ocorrido e sou solidário, mas gostaria que vocês os denunciantes fossem mais precisos em identificar as pessoas envolvidas para evitar constrangimentos a terceiros. Deve haver um José Luiz Bonfitto, também médico, escondido por aí,se beneficiando da confusão de identidades, atrás de meu nome e demais pessoas e profissionais com o mesmo nome de família. Agradeço se publicarem o CRM , RG e CPF deste indivíduo que causa tanto constrangimento a todos além do mal maior de que é acusado. Grato.

carlos sousa disse...

Caro Dr. José Luiz, seu homônimo ainda clinica em Poços de Caldas e tem as iniciais da RG com os nº 8397... CPF 872 479 ... .. Este dados não foram registrados porque não houve o transito em julgado da ação de denúncia do MPF.

Anônimo disse...

Pelo que pude verificar pela internet, o acidente ocorreu na área comum do condomínio onde residia o menor. Alguém sabe informar que atitudes tomou o pai perante o condomínio para apurar se tinha ou não área de segurança e/ou proteção adequada que pudesse evitar/amenizar a queda da criança? Outro detalhe que chama a atenção: a responsabilidade do pai em deixar que o filho fosse para uma área de risco dentro do condomínio onde residia: algo está sendo discutido a respeito disso? Não caberia ao pai manter-se em estado de vigia e zelar pela segurança do filho? O que levou o pai a anuir que o filho se dirigisse ao local da área de risco?

Anônimo disse...

Pelo que pude verificar pela internet, o acidente ocorreu na área comum do condomínio onde residia o menor. Alguém sabe informar que atitudes tomou o pai perante o condomínio para apurar se tinha ou não área de segurança e/ou proteção adequada que pudesse evitar/amenizar a queda da criança? Outro detalhe que chama a atenção: a responsabilidade do pai em deixar que o filho fosse para uma área de risco dentro do condomínio onde residia: algo está sendo discutido a respeito disso? Não caberia ao pai manter-se em estado de vigia e zelar pela segurança do filho? O que levou o pai a anuir que o filho se dirigisse ao local da área de risco?

Paulo Pavesi disse...

Reposta ao anonimo. Se voce tem convicçao do que diz, por que nao se divulga seu nome? Mas eu respondo. Nao tem qualquer problema. Eu nunca fugi das respostas. Alias, sao os assassinos que fogem. O local onde meu filho brincava era a area de lazer do predio. Se voce considera a area de lazer de um predio, como uma area de risco, precisaremos rever o conceito de lazer. Sobre as providencias que deveria tomar em relaçao a isto, devo lembra-lo que sequer um inquerito policial foi aberto para apurar o acidente. Neste inquerito seria possivel verificar se a area onde ele caiu era segura ou nao. Mas a quadrilha, que comanda inclusive a policia, nao permitiu a realizaçao do inquerito, assim como até hoje, eu estou impedido de participar como testemunha de acusaçao no processo que apura o assassinato do meu filho que ja dura mais de 12 anos. Voce, anonimo, faz parte da quadrilha. E como é natural no Brasil, querem que eu seja responsabilizado no lugar de voces. Ainda que voce queira me responsabilizar, lembro ainda que tenho laudos que comprovam que seus orgaos foram retirados quando ele ainda estava vivo. Nem mesmo pela sua tese, eu seria o responsavel pela morte dele. Por que voce nao vai ao meu blog e rebate as provas que estao publicadas la. Voce anonimo, é covarde.