Pesquisa personalizada

5 de abr de 2010

Crimes de guerra

Hoje, 5 de abril de 2010, a organização  WikiLeaks lançou um vídeo na internet que mostra a matança indiscriminada de mais de uma dúzia de pessoas no bairro de Nova Bagdá, Iraque - incluindo dois funcionários da Agência de notícias Reuters.

A imagens mostram, a partir da visão do piloto de um helicóptero Apache, os disparos contra um grupo de homens armados e outros que não portam armas e que andam pela rua.

Entre eles, estavam o fotógrafo da "Reuters" Namir Noor-Eldeen e seu motorista, Saeed Chmagh, que morreram no ataque, em 12 de julho de 2007.

O vídeo, apresentado em Washington e intitulado "Assassinato Colateral", descreve também o resgate das vítimas, entre elas duas crianças feridas.

No dia seguinte ao ataque, o Exército americano explicava a morte dos funcionários da agência como parte de um confronto entre suas tropas e insurgentes.

Um porta-voz militar disse ao jornal "The New York Times" que "não há dúvida que as forças de coalizão estavam claramente em meio a operações de combate contra uma força hostil".

 

A agência "Reuters" exigiu sem sucesso uma investigação das circunstâncias e a obtenção do material audiovisual apelando para a Lei de Liberdade de Imprensa.

Como resposta, o Exército americano concluiu que as ações dos soldados durante o fato estavam de acordo com a lei em conflitos armados e com a normativa americana sobre quando, onde e como a força deve ser usada.

No vídeo, é possível ouvir os militares comemorarem as mortes ao grito de "olha esses bastardos mortos" e outro suplicar por permissão para atirar contra um homem.

De 2003 a 2009, 139 jornalistas foram mortos no Iraque.

Todos estavam realizando o seu trabalho.

Muitas das 139 mortes ocorreram como a dos funcionários da Reuters, mas foram tratadas como risco inerente à profissão.

Veja o vídeo e a transcrição dos diálogos entre helicópteros segundo a segundo em http://www.collateralmurder.com/

REUTERS-IRAQ/DEATHS

Namir Noor-Eldeen foi um dos colaboradores mais respeitados Reuters em Bagdá. Na foto ele está com uma camara igual a que ele usava no dia de sua morte e que foi confundida com um lançador de foguetes pelos soldados americanos.

Nenhum comentário: