Pesquisa personalizada

7 de mar de 2010

Filho de Sarney tinha conta não declarada à Receita

29_MVG_pais_fernando-sarney

Não fui eu quem falou! Foi a Folha de São Paulo  que publicou na edição deste domingo (07), que Fernando Sarney, filho de Zé Sarney, tem uma conta no exterior não declarada à Receita.

Documentos enviados ao governo brasileiro por autoridades chinesas comprovam que o empresário Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), mantém uma conta corrente no exterior não declarada à Receita Federal. A informação foi publicada na edição de hoje do jornal Folha de S.Paulo. A conta, operada pessoalmente pelo empresário, estaria em um paraíso fiscal em nome de uma offshore sediada no Caribe.


No começo de 2008, Fernando Sarney teria usado esse canal para realizar uma transferência no valor de US$ 1 milhão a uma agência do banco HSBC em Qingdao, na China. A autorização da transação teria sido assinada pelo empresário.


Fernando Sarney foi um dos alvos da operação Boi Barrica da Polícia Federal, que o indiciou lavagem de dinheiro, fraude e formação de quadrilha. Em meio às denúncias que resultaram da investigação, o empresário obteve liminar na Justiça impedindo o Estado de São Paulo de  publicar informações da  operação. A imposição de censura ao jornal ocorreu em meio à pressão para que José Sarney renunciasse à presidência do Senado. O autor da decisão foi o desembargador Dácio Vieira, que é próximo à família Sarney. O jornal está sob censura há 219 dias.

Segundo a Folha, durante a operação Boi Barrica, depois rebatizada de Faktor, a Polícia Federal interceptou e-mails em que havia referência ao envio de R$ 1 milhão para a China. Em 2009, Fernando Sarney negou a existência da conta no exterior.

Cópia de ANNA MARIA Postado por Anna Maria, especial para Imagens&Fatos


 

 


Com a transferência autorizada por ele, as autoridades chinesas conseguiram rastrear o dinheiro e confirmaram que os recursos foram creditados na conta da empresa Prestige Cycle Parts & Accessories Limited. Os investigadores brasileiros ainda não sabem qual é a finalidade do depósito.

O Jornal e a censura:

SARNEY2 Dacio e esposa, esposa de Agaciel e Sarney, Agaciel e Renan

Na noite de 31.07.2009 o diretório do Estadão publicou uma reportagem dizendo que o desembargador Dácio Vieira era ex-consultor jurídico do Senado, sendo do  convívio social da família Sarney e do ex-diretor-geral Agaciel Maia. Foi um dos convidados ao casamento de Mayanna Maia, filha de Agaciel, em 10 de junho, em Brasília, quando foi fotografado ao lado de Sarney, e do líder do PMDB, Renan Calheiros (foto acima).

Em 12 de fevereiro, Sarney já havia comparecido à posse de Dácio Vieira na presidência do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Distrito Federal. Antes de se tornar magistrado, Dácio Vieira fez carreira no Senado.

De acordo com seu currículo, no site do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, ele foi designado em 1986, na condição de advogado, para ocupar o cargo de titular da Assessoria Jurídica do Centro Gráfico do Senado. Depois, foi promovido para consultor jurídico da Casa.

O currículo diz que, por designação especial, ele esteve à disposição da presidência da Casa, com atuação na consultoria-geral.

E agora, será a Folha a próxima vítima? Será que mais uma liminar vai calar a imprensa que leva ao conhecimento público assuntos de inegável interesse público?

Vamos esperar para ver. Até o momento a vítima maior é o povo brasileiro que ve os cofres públicos serem assaltados por políticos e familiares sem a menor vergonha na cara.

Há necessidade urgente de colocar essa gente na cadeia, mas quem tem coragem?

Nenhum comentário: