Pesquisa personalizada

21 de out de 2008

o que o servidor público perde se o Senhor não for eleito?

Enviamos esta pergunta aos dois candidatos que concorrem a Prefeitura. Leiam suas respostas:
Prezado Carlos
Encaminhamos a resposta à sua pergunta.
Acima de qualquer cargo ou função, o servidor público é um cidadão pelotense e como tal quer e merece ver sua cidade deixar para trás os anos de estagnação, descrença e derrotismo. Muitos gestores ocuparam a cadeira máxima da Prefeitura nos últimos anos. Uns mais, outros menos capazes, alguns trabalharam com afinco, outros pouco fizeram para o crescimento da cidade. Nenhum deles, entretanto, conseguiu provocar mudanças substanciais em Pelotas, seja em termos de infra-estrutura urbana ou desenvolvimento econômico.
Pelo menos até Fetter assumir o Executivo. Não que ele tenha transformado Pelotas na cidade dos sonhos. Ele não fez milagres e nem resolveu todos os problemas - ainda há muito a fazer. Mas finalmente um governo promoveu mudanças profundas na estrutura do município, conseguiu reverter o declínio e promover um crescimento substancial e sustentado. E tudo isso foi fruto de trabalho duro, sério, honesto e muito planejamento, cuja base foi a recuperação financeira da administração municipal. Depois de duas decádadas na lista dos inadimplentes a Prefeitura finalmente equilibrou despesa e receita, pagou as dividas e saiu do Cadin e do Siafi, os SPC e Serasa das Prefeituras. Com isso pôde se habilitar a receber empréstimos externos (como o do Banco Mundial ao Pelotas Pólo do Sul) e verbas de Programas dos Governos Estadual e Federal (como o Programa de Aceleração Do Crescimento). Além disso, uma cidade que honra suas dívidas torna-se atrativa para os investimentos privados - caso dos dois shoppings que começam a ser construídos em Pelotas.
Todos esses projetos, programas e investimentos fizeram com que os pelotenses voltassem a acreditar na sua cidade. O descrédito deu lugar à demanda. Agora todos querem asfalto na sua rua, reforma dos seu Posto de Saúde, atividades extra-curriculares na sua escola. E o servidor público quer condições de trabalho cada vez melhores, quer a valorização que merece, quer condições de crescer. E se exige é porque sabe que finalmente um governo está fazendo, sem nada ter prometido.
Fetter concedeu ao funcionalismo um reajuste de 40%, o dobro da inflação no período. Assumiu as dívidas herdadas dos outros governos e já quitou 60% dos precatórios. Valorizou os servidores ao aprovar uma lei determinando que pelo menos 50% dos cargos de Função Gratificada (FG) sejam ocupados por funcionários de carreira. Implementou o vale-refeição, uma das reivindicações mais antigas da categoria, e já reajustou seu valor - o benefício chega hoje a R$ 80 mensais.
Mas não foram só econômicas as conquistas dos servidores durante os anos de governo Fetter. O desenvolvimento institucional é um dos três eixos do projeto Pelotas Pólo do Sul, que prevê diversas ações para qualificar as condições de trabalho do funcionalismo, muitas das quais já tiveram início. Entre elas estão os cursos de capacitação, a compra de veículos e de equipamentos. Além disso está incluído no projeto a Construção de um Centro Administrativo, um prédio novo onde será reunido todo o funcionalismo.
Nada disso foram promessas de Fetter. Ele simplesmente fez. Como todas as outras mudanças promovidas em Pelotas. Se Fetter não for reeleito, o servidor público seguirá com seu trabalho. Mas, como todo o pelotense, perderá a chance de ver sua terra governada por um homem integro, capaz e trabalhador. Um homem que se colocou a disposição da comunidade para que esta, no uso de seu livre arbítrio e sua soberania,com base em seu bom senso, sua memória e sua capacidade de comparar, determine qual dos dois candidatos deve governar Pelotas pelos próximos quatro anos.
Imprensa Fetter- Assessoria de Imprensa-Coligação Pelotas em Boas Mãos
O candidato do PT- Fernando Marroni não respondeu o E-mail enviado a sua assessoria, fica aqui reservado o espaço para sua resposta.

3 comentários:

Anônimo disse...

É porisso que o Fetter vai ganhar. Não foge dos desafios. Cadê o Marroni. Ele tem medo de falor para o funcionalismo público porque ele quando foi prefeito só valorizou a turma dele.

Anônimo disse...

Sem dúvidas Marroni não tem nada a dizer ao funcionalismo, ele passou quatro anos ferrando a categoria, duvido que ele tenha algum projeto para valorizar o servidor do municipio. Esse negócio de dar um passo a frente é fria.

Anônimo disse...

O Fetter tem que ver o plano de carreira que so beneficia os celetistas.O Marroni é uma pena que não tenha falado nada.